TRADUTOR

sábado, 31 de dezembro de 2016

COMO OS BOLCHEVIQUES ORGANIZARAM OS DESEMPREGADOS

Como os bolcheviques organizaram os desempregados
Publicado pelo Socialist Fight britânico, seção do Comitê de Ligação pela IV Internacional, CLQI, do qual o jornal Folha do Trabalhador faz parte.
Por Sergei Malyshev – 1931
Sergei Malyshev discursando em 1926
INTRODUÇÃO
Tendência Leninista Trotskista - 05/1992

Esta nova edição do panfleto de Sergei Malyshev deve despertar mais do que interesse histórico. Publicado pela primeira vez em 1931 sob o título “Conselhos de Desempregados em São Petersburgo em 1906”, trata de um importante episódio da história bolchevique que poucos outros trabalhos abordam. Embora seu autor não fosse teórico, o interesse do panfleto reside em sua vívida descrição das experiências práticas feitas pelos organizadores bolcheviques entre os desempregados na sequência da revolução de 1905. Sua relevância hoje, em meio a uma profunda recessão internacional com vastos bolsões de desemprego "conjunturais" e "estrutural", não deve ser desprezada por nenhum socialista autêntico.

sábado, 24 de dezembro de 2016

SÍRIA - KED

The liberation of Aleppo is a defeat for the international conter-revolution
Reproduzimos abaixo artigo dos camaradas do grupo trotskista Acção Revolucionária Comunista (KED) da Grécia:
"A libertação de Aleppo é uma derrota para a contra-revolução internacional"


15542041_355784268119959_77797534672414294_n
Este é simplesmente um 
maravilhoso 
artigo trotskista ortodoxo. A seguinte passagem se assemelha muito o que nós do Comitê de Ligação pela IV Internacional escrevemos desde 2011 sobre a Líbia e a Síria várias vezes:

"Vocês são partidários do ditador"
"O fato de que tais frases sejam usadas por pessoas que se dizem trotskistas é lamentável, mas é indicativo da degradação de certos partidos que costumavam se dizer trotskistas. Sim, senhores, isso é certo: nós 'apoiamos' Assad - exatamente da mesma maneira que Trotsky "apoiou" Chiang Kai-shek contra o imperialismo japonês. Nós "apoiamos" Assad da mesma maneira que Trotsky tinha "apoiado" Vargas no Brasil e Haile Selassie na Etiópia contra o imperialismo britânico e italiano, respectivamente [13, 14].
Sem deixar de lado as questões que temos de resolver com o regime sírio - como fazemos com todos os regimes burgueses do planeta - e sem dar qualquer apoio político, defendemos incondicionalmente a autodeterminação da Síria contra o imperialismo e seu empenho em dividir e subjugar O país, impondo duplas e tríplices correntes sobre o que resta do povo sírio. O apoio incondicional ao direito à autodeterminação das nações oprimidas é um princípio básico não negociável para os comunistas e é independente dos valores e do conteúdo de classe dos governos desses países ".

22/12/2016 · by kseeath · in english,Αριστερά,Διεθνή,Μεταφρασμένο
This article was originally published in Greek on December 20 2016. By P. Pap. for avantgarde

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

A DIALÉTICA DE LENIN

Sobre a questão da Dialética

V.I.Lenin

Introdução
O fragmento “Sobre a questão da Dialética” foi escrito por Lenin em Berna, Suíça, em 1915, encontra-se nos “Cadernos Filosóficos”, entre o resumo do livro de Lassalle acerca da filosofia de Heráclito e o resumo da Metafísica de Aristóteles. No entanto, as referências a “Metafísica” que figuram neste fragmento permitem presumir que foi redigido após Lenin ter lido a obra de Aristóteles. O fragmento é, portanto, uma espécie de balanço do trabalho de Lenin sobre os problemas filosóficos em 1914-1915.

Quando foi publicado pela primeira vez, em 1925, na revista Bolchevik, o Instituto Marxismo Leninismo, anexo ao CC do PCUS fez a seguinte nota:

"Neste texto, Lenin analisa a dialética da unidade e da luta dos contrários, a concepção metafísica e a concepção dialética do desenvolvimento, as categorias de absoluto e relativo, do abstrato e do concreto, do geral, do particular e do singular, do lógico e do histórico, etc. Ele põe em evidencia o caráter dialético do processo de conhecimento e mostra as raízes gnosiológicas e as raízes de classe do idealismo."

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

SÍRIA - DERROTA IMPERIALISTA EM ALEPPO

Liberada Aleppo, derrotar o imperialismo
em Raqqa, Mosul, Iêmen e Ucrânia!

Declaração do Comitê de Ligação pela IV Internacional, CLQI

Libertação de Aleppo pelas tropas Síras,
apoiadas pelo Irã, Rússia e Hezbollah
Em todo o Oriente Médio acontece agora uma complexa série de lutas centradas em Aleppo e Raqqa (Síria), Mosul (Iraque) e no Iêmen, nas quais o imperialismo norte-americano está procurando desesperadamente manobrar apoiando-se em vários governos tíeres e forças jihadistas para alcançar seus objetivos estratégicos.

Outras áreas de conflito, como a Ucrânia, refletem esses objetivos também. Estes objetivos são a mudança de regime e a dissolução do Estado na Síria e no Irã e a derrota das forças rebeldes no Donbass, tendo atingido estes objetivos Afeganistão, Líbia e Iraque, a fim de passar para a mudança de regime e a divisão da Rússia e da China.